Não vou brigar por 0,1%!

Esta foi a frase do meu pai quando tentei convencê-lo de que deveria investir em um fundo que “só” rendia “0,1% ao mês” a mais do que um outro que ele gostaria de investir, pois considerava que não fazia diferença.

Este é mais um capítulo da nossa série iniciada no artigo “Como Começar a Investir”.

MENSAGEM Nº 03 – AQUELE 0,1% NÃO É VAGABUNDO, ELE TAMBÉM TRABALHA POR VOCÊ

Antes de mais nada, gostaria de corrigir um erro comum. Se o Fundo A rende 1,0% a.m. e o Fundo B, 1,1% a.m., este último rende 0,1 PONTO PERCENTUAL (p.p.) a mais. Se falarmos em termos percentuais, acredite, o Fundo B rende 10% a mais.

Vamos a um exemplo prático. Você aplicou seu dinheiro nos Fundos A e B, investindo R$ 1.000,00 em cada. Na tabela abaixo, simulamos os saldos que você teria em diferentes prazos, considerando que a rentabilidade mensal se manteve durante os prazos:

Como pode ser facilmente percebido, por menor que seja o diferencial de rentabilidade, um fator “milagroso”, às vezes até mesmo demonizado, faz toda a diferença: juros compostos, o famoso “juros sobre juros”. Isto explica porque dois investimentos de valores iguais, com rentabilidades “parecidas”, trazem resultados tão diferentes ao longo dos anos de aplicação.

O efeito dos “juros sobre juros” pode ser visto melhor na tabela a seguir. As características das aplicações são as mesmas, somente isolamos os juros acumulados em cada período do valor do investimento inicial. Perceba que a diferença de R$ 1,00 de um mês se transforma em R$ 6,32 após seis meses, R$ 13,46 após um ano e chega a R$ 2.920,11 ao final de 20 anos. Isto para uma aplicação inicial de R$ 1 mil. Os 10% a mais que o Fundo A oferece em um mês, resultaria em 29,5% a mais se mantido por 20 anos.

Agora, vamos imaginar que você está se preparando comprar um carro daqui a um ano, ou trocar de casa daqui a 10 anos ou mesmo se aposentar em 20 anos. Vamos supor que você tenha R$ 50 mil para aplicar inicialmente e se propõe a poupar (e investir) mais R$ 1 mil mensalmente por estes prazos. As opções de investimento são novamente os Fundos A e B, com as respectivas rentabilidades mensais de 1,0% e 1,1%. Veja os resultados na tabela abaixo:

Ok, para comprar um carro daqui a um ano, ganhar R$ 757,31 a mais parece pouco, mas vamos combinar que esse valor pode abastecer seu automóvel tranquilamente por um mês ou mais, conforme for a utilização. Para trocar de casa daqui a 10 anos, R$ 38 mil adicionais podem ajudar a fazer uma boa reforma no imóvel. Imagine então possuir R$ 324 mil a mais quando se aposentar. Faria muita diferença no momento de aproveitar a vida sem os afazeres do trabalho e com mais tempo para o lazer, certo?

Todos estes exemplos servem para mostrar que, apesar de parecer pouco, qualquer diferença de juros das aplicações podem resultar em grandes valores no futuro. Logicamente, deve-se atentar para o fato de que, em geral, quanto maior a rentabilidade esperada, maior o risco associado à aplicação. Assim, estes tipos de comparações servem para escolher entre aplicações com riscos parecidos ou para que você opte conscientemente por tomar um risco maior, mas com possibilidade de ganho extra.

Pin It on Pinterest

Share This